O PRAZO DA CRISE NOS INVESTIMENTOS

O PRAZO DA CRISE NOS INVESTIMENTOS

Em momentos de crise, pensar em investir a longo prazo é essencial

Por Renan Hamilko, sócio fundador da Allez Invest

Nos últimos meses, os investimentos em ativos de renda variável de todo o mundo sofreram baixas em seus valores, em virtude da pandemia do coronavírus. Mas, um dado interessante, aqui no Brasil, é de que, mesmo com a queda que chegou a quase 30%, desde o início da crise, a B3 contabiliza novos investidores em números expressivos. E a principal avaliação que podemos fazer dessas informações, é que a baixa nos preços das ações foi uma grande oportunidade para que os investidores pensem no futuro, valorizando o capital a longo prazo.

No mês de abril, a B3 registrou 440 mil novos CPF’s, ultrapassando os 2,3 milhões de investidores. Este resultado, comparado ao mesmo mês de 2019, cresceu 48%. Mas, o número é ainda mais surpreendente quando visualizamos o crescimento em um período mais longo. Há dois anos, em 2018, o país registrava 813 mil pessoas e empresas que investiam em ativos de renda variável.

E é nesse momento, de grande adesão de pessoas na Bolsa, que devemos reforçar a importância de se investir em renda variável pensando a longo prazo. Para comprovar essa posição, a XP Investimentos divulgou um estudo mostrando a média de retorno dos ativos acionários, considerando a entrada e saída de investidores em períodos de um, dois, cinco e dez anos, durante as duas décadas entre 2000 e 2020.

Os resultados mostraram que, para se obter os melhores rendimentos, a Bolsa de Valores é um investimento a longo prazo. Na pesquisa, os investidores que saíram no prazo de um ano, 37,7% tiveram resultados negativos. Este número diminui com o passar do tempo: em dois anos 36,9%, em cinco anos 19,69%, e, em dez anos, nenhum resultado negativo foi auferido. Estes dados mostram que, dos investidores que aplicaram seu dinheiro na Bolsa, entre janeiro de 2000 e fevereiro de 2020, todos saíram com o capital maior do que o investido no início do período.

Mas, e agora, como os 440 mil novos investidores que entraram no mercado acionário, só em abril, devem escolher seus ativos para o futuro? Um dos principais pontos a serem analisados, em momentos de crises, é o de como as empresas com capital aberto têm passado por esse período, ou seja, como é a capacidade de reagir a momentos difíceis com boas estratégias. Percebemos, nesse período de pandemia, que as empresas mais disruptivas enfrentaram melhor esse momento, porque possuem mais flexibilidade e isso faz com que se adaptem, de forma mais rápida, à nova realidade.

Através dessa visão, de investimentos a longo prazo, que a Allez Invest ingressou no mercado financeiro, para ajudar mais de 140 mil investidores do Paraná, a ter bons rendimentos, mesmo em momentos difíceis.

allez